20/11/2012

Venuto al Mondo


Gosto de filmes de guerra. Gosto muito. E por ser em ambiente de guerra - Guerra da Bósnia - estava empolgada para ver esta co-produção espanhola e italiana, realizada pelo italiano Sergio Castellito. Penélope Cruz no elenco é sempre a huge plus e o facto de ser inspirado numa obra de Margaret Mazzantini, de quem já tinha ouvido falar muito bem, também ajudava. Isto significa que antes de entrar para a sala de cinema estavam reunidas todas as condições para que este fosse um belíssimo filme.
Bom, a verdade é que se não fosse pela absolutamente fabulosa-linda-maravilhosa-que-até-irrita  Penélope Cruz eu tinha-me levantado a meio do filme e ido para casa ver as "Gilmore Girls" que em comparação é uma obra-prima.

Se quiseres fazer a mesma borrada que eu e ver o filme, força com isso, mas depois não digas que ninguém te avisou. Ora então aqui vão algumas (poucas, mas boas) razões para poupar dinheiro  neste específico bilhete de cinema:
- A relação entre as personagens principais, interpretadas por P. Cruz e Emile Hirsch, é tão credível como um bitoque sem ovo estrelado;
- Ao longo das 2 horas e 7 minutos de filme a sensação de que o filme devia acabar já ali, foram mais que muitas;
- A Guerra da Bósnia como cenário não acrescenta nada às personagens, ao contrário daquilo que ambiciona o realizador. Se a história acontecesse num Hotel Resort na Tailândia a coisa dava exactamente no mesmo;
- Jane Birkin é a pior assistente social do planeta terra e o Emile Hirsch é o artista/toxicodependente/salvador da pátria/rebelde mais imberbe do sistema solar.
- No cinema - e na vida real - as grandes histórias de amor têm sempre um ou dois ingredientes em comum, mas uma história de amor com TODOS os clichés do universo das histórias de amor é abusar um bocadinho na coisa. 
- Um bom final não faz um bom filme.
- Um livro é um livro. Um filme é um filme. Daí o filme ser BASEADO no livro. Se eu quisesse ler, tinha ido para um sítio com mais luz que uma sala de cinema. 
- Este é um filme para se ver na TV. Para quem é, bacalhau basta! 

Apesar de poucos o "Venuto al Mondo" também tem pontos positivos: 
- A interpretação da Penélope Cruz 
- O cabelo da Penélope Cruz
- A Penélope Cruz no geral. 

(E se ainda não te convenci ficas a saber que a dois minutos do final do filme, na sala de cinema, uma senhora começou a gritar "há algum médico na sala?" enquanto um homem corria para fora da sala aos berros "vou chamar a ambulância!". Estendida no chão estava uma outra senhora que pelos vistos se sentiu mal. E mais não digo...)  

Sem comentários:

Publicar um comentário